São Cristóvão de Futebol e Regatas faz planos para chegar à primeira divisão

Atualmente na série B2, clube quer chegar a elite do Campeonato Carioca no menor espaço de tempo possível com ajuda de empresários e moradores do bairro

O São Cristóvão Futebol e Regatas passa atualmente por grandes modificações na perspectiva de atrair moradores e empresários para ajudarem ao clube voltar a brilhar na Série A do campeonato Carioca e, quem sabe, ser campeão novamente, como aconteceu em 1926. Atualmente o clube está na Série B2 do Campeonato e precisa vencer esse ano para chegar a Série B1 em 2019 e vencer novamente para adentrar a elite em 2020, e aí sim, jogar contra os grandes clubes do Rio, como Flamengo, Fluminense, Vasco e Botafogo. 
As mudanças já vêm acontecendo na parte estrutural. O atual presidente do clube, Anderson da Silva, mais conhecido como Merrenga, foi eleito por dois anos, prorrogáveis por mais dois, e espera a colaboração de moradores e empresários para ajudar o clube alcançar o objetivo.

Presidente Anderson da Silva (Merrenga) quer atrair empresários e moradores para o clube

– Estamos fazendo um projeto com transparência e pé no chão. Já colocamos a grama sintética no campo das categorias de base e os vestiários estão reformados. Coisas que antes eram vistas como impossíveis de acontecer, já estão acontecendo. As famílias agora podem vir ao clube, principalmente as mulheres, pois os banheiros também foram reformados, e elas terão mais conforto – disse Merrenga.

O futebol, que é a paixão do clube e dos moradores do bairro, vem melhorando gradativamente. Os atletas profissionais têm salários, mais ainda não é o ideal que o futebol precisa, disse o presidente do clube.
– A gente faz aquela mágica, faz negociações para conseguir recursos e manter o time em dia. Mesmo com toda dificuldade o time está unido, todo mundo satisfeito. Pelo menos é o que os semblantes dos jogadores demonstram, jogando com garra dentro de campo. Se o São Cristóvão crescer, sem dúvida eles vão crescer juntos, vão fazer parte da história que vai levar o clube para série A. Consequentemente eles terão sua imagem atrelada a essa história e irão se valorizar também, concluiu o presidente.

DIVISÃO DE BASE

Garotada do sub-13 é a esperança de novos craques para o Clube T
Garotada do sub-13 não tem mordomia na hora do treino físico
Renato Campos, um dos responsáveis pelas categorias de base, quer formar atletas cidadãos

O clube trabalha hoje com praticamente todas as categorias de base, do sub-13 ao sub-20, informou o Gerente Administrativo Renato Campos, um dos responsáveis por essas categorias. Ex-atleta do clube, com passagens pelo Campo Grande e América Mineiro, o gerente fala com paixão do trabalho com os atletas dessas categorias.
– Não estamos formando apenas o atleta, mas principalmente o cidadão. Essa nova gestão trabalha para recuperar a imagem do clube perante a sociedade. Estamos nos estruturando, fazendo obras para chamar as pessoas para entrarem em nossa casa e se sentirem à vontade, sendo recebidas de forma acolhedora.
Marcelo, atleta do sub-13 do clube, disse que pretende ser jogador profissional e que o clube dá a base para ele acreditar no futuro como jogador profissional. Vitinho, outro atleta do sub-13 que também quer ser profissional, disse que o futuro dele para chegar a um grande clube está no São Cristóvão. O camisa 10 do time disse não se importar com o número da camisa, onde nos grandes clubes são cobiçadas por muitos atletas. Ele disse que quer apenas jogar o seu futebol, o número da camisa não importa.

A união faz a força entre a garotada na hora do treino
Quando a bola rola a garotada fica animada e esquece o cansaço
Profissionais do São Cristóvão posam para foto exclusiva para a Revista Rio Zona Norte

O clube tem jogadores do sub-20 e no profissional que estão indo para outros estados. Recentemente saíram o volante Michel, que foi para o Grêmio de Porto Alegre e o Léo, que está jogando na Suíça, sem falar em nosso maior orgulho, que é o Ronaldo Fenômeno – enfatizou o Gerente Administrativo.


AQUI NASCEU O FENÔMENO

Uma das formações do sub-15 do São Cristóvão com o Fenômemo entre eles

Antes de iniciar carreira no futebol de campo, Ronaldo Fenômeno passou pelo futsal, onde iniciou no Valqueire Tênis Clube, passando pelo Social Ramos Clube e o Grajaú Country Club. Decidiu abandonar o futsal e tentar carreira no futebol de campo. Tentou o Flamengo, e mesmo passando em uma peneira, não continuou na Gávea, pois não tinha dinheiro para o transporte. O São Cristóvão, porém, resolveu adotar o garoto, ajudando com o dinheiro das passagens, e ele passou a treinar no time.

Ronaldinho e seu companheiro de clube Alexandre em jogo na Gávea pelo sub-15
Ronaldinho quando ainda jogava no futsal do Social Ramos Club

Logo no primeiro jogo pelo clube da Rua Figueira de Melo, no dia 12 de agosto de 1990, marcou seu primeiro gol pelo mirim. Em seguida marcou mais três gols na vitória de 5 a 2 contra o Tomazinho, perfazendo 08 gols em 12 jogos nos quatro meses que faltavam para terminar o ano. No ano seguinte, já no infantil, foram 17 gols em 28 jogos. O clube, além de dar o nome do craque ao estádio, que passou a chamar-se Estádio Ronaldo Nazário, mantém estampado com orgulho o slogan: “Aqui nasceu o Fenômeno”. 

Ronaldinho em 1993 disputando a Sul Americana pela Seleção Brasileira sub-17


As fotos de Ronaldo nas categorias de base do São Cristóvão e na seleção brasileira sub-17 foram adquiridas no site: http://www.melhoresdabase.com.br/noticias/ronaldo-fenomeno-seu-inicio-no-sao-cristovao.html

Leave a reply