Município está abandonado e Zona Norte virou lixão a céu aberto

O ex-senador ganhou a eleição prometendo melhorias na saúde, na limpeza urbana e transporte, entre outras coisas, mas a desordem pública toma conta da cidade. Vereadores já falam em pedido de impeachment de Crivella

Por: Luiz Dutra

Editor

Moradores da cidade do Rio de Janeiro já não aguentam mais o abandono da prefeitura na saúde, infraestrutura e, principalmente, na limpeza urbana, entre outras coisas. O lixo tomou conta de toda cidade (menos na zona sul). Meier, Bonsucesso, São Cristóvão, Praça da Bandeira, Tijuca, Penha, Benfica, Pilares, enfim, em todos os 91 bairros da zona norte é notório o estado de abandono e a sujeira que prospera por toda parte.

As promessas de campanha, que foram muito bem elaboradas por sua equipe de marketing, não passaram de um engodo, com a única intenção de atrair os eleitores e ser eleito.

No bairro imperial de São Cristóvão, bairro que moro, vê-se de tudo pelas ruas: fezes humanas por toda parte, animais mortos, lixo orgânico e de obras espalhados pelas calçadas, proprietários de lojas tomando as calçadas de assalto, enfim, a desordem pública impera no bairro imperial, virando um lixão a céu aberto.

Não precisa andar muito para se deparar com sujeira pra todo lado em qualquer rua da zona norte

Outro serviço muito útil que vem deixando a desejar é o 1746, o serviço de teleatendimento, que foi inaugurado em abril de 2011 para atender a população 24 horas. Esse canal de comunicação ultimamente vem deixando a desejar quando, por exemplo, pedimos para a guarda municipal conferir carros estacionados em local proibido ou que estejam obstruindo uma calçada, impedindo os transeuntes de passarem. A resposta dada com frequência é que o atendimento será feito em até 48 horas. Antes o atendimento era feito em até 30 minutos.

Rua Frolick, outra local onde um lixão começa a se formar

Não poderia deixar de dizer que a incompetência de Marcelo Crivella pode leva-lo ao livro dos recordes como o pior prefeito dos últimos tempos. Ele parece brincar de governar para um pequeno grupo de amigos, e esquece que os mais de 6,32 milhões de habitantes, que pagam impostos caros, precisam ser tratados com respeito.

Sabemos que a crise econômica brasileira atingiu em cheio o Rio de Janeiro, porém, em 2018, a prefeitura arrecadou 67,5 milhões a mais em impostos, comparados com 2017, após corrigir o IPTU, apenas no primeiro bimestre de 2018. O crescimento total foi de 5,8%, onde passou de R$ 1.159.453.587 para 1.227.002.699. Acredito que o problema aí é de má gestão mesmo, e não de falta de verba.  

A prefeitura não é a sede da igreja em que ele se diz bispo, mas a sede administrativa da cidade. Os secretários, em sua maioria, não podem fazer nada, mesmo que tenham bons projetos que venham de anseio com a melhoria do padrão de vida do povo.

Um caminhão e um automóvel parados na faixa de pedestre na Rua São Cristóvão com Rua Fonseca Teles mostra que ninguém respeita mais nada nesse município

Não vejo problema algum em um evangélico ser prefeito, governador ou presidente do Brasil. O que não pode acontecer é ver esse governante pensando que só deve satisfação a esse grupo seleto, e esquece os outros que não comungam com o mesmo credo dele. Infelizmente, o que observamos é que Crivella não tem competência para governar esse munício,

IMPEACHMENT

Os vereadores da cidade, enfim, acordaram, e protocolaram na Câmara de Vereadores do Rio, dois pedidos em uma semana para cassar o mandato de Crivella. Dessa vez as argumentações da acusação, apresentada pelo advogado Pablo Filipe de Andrade apresenta supostas irregularidades na compra de um terreno da Caixa Econômica Federa, em Rio das Pedras, pelo município. O documento acusa a gestão de Crivella de praticar uma “pedalada fiscal”.

No dia primeiro de janeiro de 2017 Crivella recebe de Eduardo Paes a chave da cidade ao tomar posse como prefeito. Praticamente todas as promessas de campanha na área de saúde, educação, ordenamento e transporte, entre outras coisas, não saíram do papel

No mesmo documento é pedido que o prefeito perca o cargo e fique inelegível por oito anos por suposto crime de responsabilidade.

Parece que os dias de Crivella como prefeito está com os dias contados. Pelos números de opositores, que conta com vários vereadores da base do prefeito, pelo menos 40 dos 51 vereadores defendem a cassação do mandato de Crivella, diferentemente do que aconteceu em julho de 2017, quando outro pedido de impeachment foi rejeitado pelos vereadores por 29 votos contra e 16 a favor.

Ontem (01/04), novo pedido de impeachment foi protocolado , desta vez por denúncias de renovação de contratos com as empresas Clear Channel e JCDecaux, responsável pela publicidade no mobiliário urbano carioca.

Para finalizar, gostaria de deixar claro que quero ver nossa cidade sendo tratada como ela merece. Os comerciantes não aguentam mais pagar tantos impostos e não verem esses recursos sendo investido para o bem-estar social. O cidadão, de um modo geral, também não suporta mais tanto descaso. Pessoas estão morrendo nos hospitais por falta de atendimento básico, de remédios, de ambulâncias, e o prefeito finge que não vê, passando comentários chulos, que não dizem nada para a população.

Leave a reply