Site de fofoca diz que após prisão Claudia Leitte evita falar do assunto e deixa público espantado

Por: Luiz Dutra

No site de fofocas TVFOCO foi publicado uma matéria em 13/04, assinada por Larisse Oliveira, que do ponto de vista ético e moral, contraria todo e qualquer propósito jornalístico. Para quem não sabe, esse tipo de mentira ou notícias falsas, é chamado atualmente de fake News. São meios que a imprensa marrom usa de forma deliberada passando a desinformação ou boatos através de jornal impresso, televisão, rádio e através de sites e nas mídias sociais.

A Revista Rio Zona Norte repudia totalmente esse tipo de notícia falsa, onde a imprensa marrom só pensa no lucro e em atingir milhões de pessoas. Estas notícias, muitas vezes empregam manchetes atraentes ou inteiramente fabricadas para aumentar o número de leitores, compartilhamento e taxas de clique na internet.

O QUE DIZ A NOTÍCIA FALSA

Foto de Claudia Leite publicada no site TVFOCO

De cara verifica-se na manchete da matéria que ela tem o único objetivo de conquistar leitores, não se importando com a veracidade da notícia. Ela diz “Após prisão, Claudia Leitte evita falar sobre o assunto e deixa público espantado”, e usa uma foto da cantora chorando (só que a foto se refere a algum momento dela no The Voice Kids e não tem nada a ver com o assunto). Obviamente, os fãs da cantora ao lerem a chamada e ver a foto ficam chocados e sem racionar, clicam imediatamente para ler a matéria. A notícia continua e diz que “uma das cantoras mais famosas do Brasil, passou por uma situação inacreditável nessa semana. Continua a série de mentiras afirmando que … “Claudia Leite teve que enfrentar a Polícia Federal. A contratada da Globo estava fazendo uma viagem de aeronave e ao pousar no Aeroporto do Galeão é recebida com uma equipe da PF dando voz de prisão”.

A matéria prossegue com informações dos pilotes e da aeronave que supostamente era clandestina. Mais adiante diz que essa não é a primeira vez que a artista passa por essa situação constrangedora, informando que a fonte dessa informação é a Coluna radar, da Revista Veja.   

A aeronave da empresa que transporta a cantora Claudia Leite é igual a essa. Foto: ANAC

O QUE DIZ A NOTÍCIA VERDADEIRA

O  que se lê no portal bahia10.com.br (http://portal.bahia10.com.br/pf-da-voz-de-prisao-a-piloto-de-aviao-que-levava-claudia-leitte/ ) em matéria publicada no dia 13 de abril de 2019 é  totalmente diferente: “PF dá voz de prisão a piloto de avião que levava Claudia Leite”. Não se fala o nome da cantora em nenhum outro ponto qualquer, apenas no que se refere que a artista seria conduzida pela aeronave. Veja o que fala a matéria:

“A Polícia Federal deu voz de prisão ao piloto Ernani Luiz Assis Figueiredo Campos, que levava em sua aeronave a cantora Claudia Leitte. O caso foi na semana passada, segundo nota da coluna Radar, da revista Veja.

A aeronave PT-LDY fazia táxi-aéreo de maneira clandestina, ainda de acordo com a nota. Ao pousar no Galeão, no Rio de Janeiro, com a passageira famosa, o piloto foi surpreendido por agentes da PF.
A nota diz ainda que essa é a segunda vez que uma situação dessas acontece com a cantora. Fonte: Correio da Bahia”.

Está provado assim, que o site TVFOCO faltou com a verdade. Ele pegou um fato e distorceu completamente, criando uma notícia fantasiosa (Fake News) sobre a artista.

QUESTÃO JURÍDICA

Segundo o site Jusbrasil (https://www.jusbrasil.com.br/?ref=logo),  em matéria publicada por Paulo Tiago de Castro, no que se refere aos aspectos penais das notícias falsas divulgadas, onde o seu autor tem a intenção de ofender alguém, pode haver a configuração de crime contra a honra, ou seja, calunia, injúria ou difamação, de acordo com o que prevê o Código Penal. O art. 3º do Dec. Lei 4.766/42 existe a tipificação do crime de disseminação de informação capaz de gerar pânico ou desassossego público.

A justiça brasileira está mais rígida para quem usa as redes sociais para falar mal e difamar os outros. Quem posta esse tipo de ofensa é punido, quem compartilha é punido também e quem concorda com o que leu também é punido. No caso de uma empresa de comunicação as sanções podem ficar ainda mais pesados. Os indiciados podem ter vários tipos de penas de acordo com outro ponto do Código Penal – (Decreto Lei 2.848/1940).

Calúnia:

Art. 138. Caluniar alguém, imputando-lhe falsamente fato definido como crime:
Pena – detenção, de seis meses a dois anos, e multa.
§ 1º Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga.
§ 2º É punível a calúnia contra os mortos.

Difamação:

Art. 139. Difamar alguém, imputando-lhe fato ofensivo à sua reputação:
Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa.

Injúria:

Art. 140. Injuriar alguém, ofendendo sua dignidade ou o decoro:
Pena – detenção, de um a seis meses, ou multa.
(…)
§ 2º Se a injúria consiste em violência ou vias de fato, que, por sua natureza ou pelo meio empregado, se considerem aviltantes:
Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa, além da pena correspondente à violência.
§ 3º Se a injúria consiste na utilização de elementos referentes a raça, cor, etnia, religião, origem ou a condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência:
Pena: reclusão de um a três anos e multa.

Leave a reply