Conheça os 5 alimentos que ajudam a melhorar a potência cardiovascular

Na matéria anterior você conheceu as principais doenças do coração, suas causas e sintomas. Agora você vai conhecer os cinco principais alimentos que vão te ajudar a cuidar do seu coração de forma saudável e como eles combatem esses males.

A UVA

A uva é indicada em todas as afecções cardíacas

Evita a formação de coágulos nas artérias

Com seu paladar levemente azedo, essa fruta cultivada há mais de 8 mil anos atrás no Oriente Médio, teve seu plantio no Brasil iniciado em 1535, na Capitania de são Vicente, trazidas pelos portugueses.

Uma das frutas mais consumidas e conhecidas do mundo, a uva, seja ela do tipo que for, além de muito saborosa é também um superalimento para a saúde, principalmente de crianças. Com seus vários poderes curativos e de prevenção de doenças, a uva consumida diariamente de maneira equilibrada trás vários benefícios indispensáveis ao organismo, principalmente ao coração, evitando a formação de coágulos nas artérias.

As propriedades da uva são inúmeras, onde se destacam em sua composição os açúcares e as vitaminas do complexo B; por outro lado, a uva fornece poucas proteínas e gorduras. Mesmo em pequena quantidade, as proteínas (0,67%) contêm todos os aminoácidos essenciais. Os minerais estão presentes em quantidades moderadas. Os componentes da uva que merecem destaque são:

– Acúcares, em proporção que oscila entre 15% e 30%, dependendo da região que foram cultivavas. As de regiões frias costumam ter menos açúcares enquanto as cultivadas em terrenos cálidos e secos são mais doces.

– Vitaminas: Com 0,11 mg/100 g de vitamina B6, a uva é uma das frutas mais ricas nessa vitamina, sendo superada apenas pelo abacate, a banana, a fruta-do-conde e a manga. Também tem grande quantidade de vitaminas B1, B3 e B6, em quantidade superior a maiorias das frutas frescas. Ela também contém uma quantidade significativa de provitamina A, vitamina C e vitamina E.

– Minerais: O potássio, o cobre e o ferro são os minerais mais abundante na uva, mas também contém cálcio, fósforo, magnésio e cobre.

– Fibra: A uva contém cerca de 1% de fibra vegetal solúvel (pectina), quantidade importante tratando-se de fruta fresca.

Substâncias não nutritivas: A fruta contém muitas substâncias químicas que não pertence a nenhum dos grupos clássicos de nutrientes, mas que exercem numerosas funções no organismo, muitas delas ainda desconhecidas, conhecidas como elementos fitoquímicos, entre eles os ácidos orgânicos, os flavonoides, o resveratrol e o antocianinas.

Comprovadamente, pode-se dizer que a uva é um alimento que fornece energias as nossas células e favorece o bom estado das artérias, especialmente das coronárias que irrigam o músculo cardíaco. Também é laxante, antitóxica, diurética, antianêmica e antitumoral.

Como vimos, a uva está indicada para muitas doenças, principalmente as abaixo relacionadas.

  • Afecções Cardíacas: A uva é indicada em todas as afecções cardíacas pelos seguintes motivos:

– Transporta energia em forma açúcares simples, que o músculo cardíaco utiliza para contrair-se. Embora a principal fonte de energia o coração sejam os ácidos graxos, esse órgão também utiliza a glicose.

– A uva em potássio e também cálcio e magnésio, minerais que intervêm nas contrações cardíacas.

  • Afecções das artérias coronárias: Pesquisas feitas com a uva e seu suco comprovaram que ambos são capazes de dilatar as artérias, possibilitando a circulação mais fluida do sangue, sem que se formam coágulos, e impedir que o colesterol se deposite nas paredes das artérias. Não se pode esperar mais de um alimento protetor do coração e do sistema circulatório.

O vinho tinto (não o branco) exerce essas mesmas ações porque conserva parte das substâncias presentes na uva. Mas apresenta inconvenientes em relação à uva e seu suco: contém apenas açúcares e vitaminas e uma substância tóxica, o álcool etílico, que necessariamente o organismo precisa eliminar do sangue, queimando-o no fígado.

Por isso, a uva ou seu suco são superiores ao vinho quanto a capacidade cardioprotetora e não têm os efeitos indesejáveis.

  • Trombose: A tendência do sangue em formar coágulo dentro das artérias ou veias pode ser reduzida com o consumo de uva, suco ou uva passas. Isso é especialmente importante para quem tenha sofrido acidente vascular cerebral, ou esteja em situação de risco.
  • Anemia por falta de ferro: A uva é uma das frutas frescas mais ricas em ferro. A uva passa, como está mais concentrada, é ainda mais rica em ferro, superando a carne de carneiro.
  • Processos cancerosos: Foi comprovado experimentalmente que o resveratrol contido na uva, especialmente na casca, exerce função antitumoral. Embora o uso dessa substância, em caso de câncer, ainda esteja em fase de pesquisa, recomenda-se o consumo abundante de uva como medida complementar a todos que tenham sido diagnosticados com câncer ou aos que apresentam risco elevado de contraí-lo. 

BRÓCOLIS

O brócolis destaca-se nesse grupo por ser muito rico em proteínas

Descongestiona o sistema circulatório

Praticamente todas as hortaliças, em especial as da família das crucíferas, fornecem fitoquímicos que protegem contra as doenças cardiovasculares e câncer.

O brócolis destaca-se nesse grupo por ser muito rico em proteínas, em cálcio, provitamina A (beta-caroteno) e vitamina C. Também é rico em potássio, tem baixo teor de sódio e elementos fitoquímicos sulfurados de ação anticancerígina.

Pelo escasso aporte calórico, por carecer praticamente de gorduras e principalmente por sua ótima relação entre os minerais sódio e potássio, o brócolis é o alimento adequado para os que sofrem de insuficiência cardíaca em qualquer grau. Ele favorece eliminação do excesso de líquidos retidos (edemas), descongestionando o sistema circulatório e o coração. 

NOZES

As nozes ajudam a reduzir os níveis de colesterol ruim, o LDL, e aumentar o colesterol bom, o HDL

Reduz o nível de colesterol sanguíneo

As nozes são da mesma família das castanhas e avelãs e possuem uma casca rígida. Sua composição nutricional, apesar de ser um pouco calórica, possuem proteínas, minerais, vitaminas, gorduras saudáveis e fibras que agem em prol do bom funcionamento do organismo, deixando-o mais saudável.

Uma das grandes vantagens desse alimento é a presença das fibras solúveis e do ácido-graxo ômega 3 e 6 em sua composição que ajudam a reduzir os níveis de colesterol ruim, o LDL, e aumentar o colesterol bom, o HDL. O seu consumo em uma dieta saudável pode ajudar nesse equilíbrio, prevenindo as doenças cardiovasculares, auxiliando na produção dos glóbulos vermelhos, evitando o entupimento das artérias, favorecendo uma boa circulação sanguínea e beneficiando a saúde do coração.

Então, quanto mais consumirmos nozes, menor será o risco de infarto do miocárdio. Essa é a recomendação de especialistas que aponta que o consumo 5 ou mais vezes por semana, reduz o risco de infarto em 52%. Se o consumo é de uma a 4 vezes por semana o risco sobe para 74%, mas se o consumo for de menos de uma vez por semana o risco é de 100%.

À medida que aumenta o consumo de nozes e outras frutas secas, diminui o risco de sofrer infarto do miocárdio. O consumo de pão integral em vez do pão branco também protege o coração e reduz o risco de infarto.

As nozes constituem um elemento muito recomendado para quem sofre de cardiopatias (doenças do coração), por três motivos fundamentais:

  1. Por sua riqueza em ácidos graxos: esses constituem a fonte primária de energia para as células do coração, diferentemente de outras células, entre elas os neurônios, que utilizam a glicose como combustível principal. Pode-se dizer que o coração funciona à base de ácidos graxos e, por isso, as nozes fornecem abundante energia para o funcionamento do coração.
  • Por seu conteúdo em vitamina B1, que apesar de ser moderado é suficiente para contribuir para que todos os músculos, inclusive o cardíaco, funcione adequadamente.
  • Por reduzir o nível de colesterol sanguíneo, contribuindo assim para que não se depositem nas paredes das artérias, obstruindo-as. Quanto menos colesterol no sangue, menor é o risco de arteriosclerose (obstrução das artérias) e o sangue circula melhor.

Por essas três razões, as nozes são boas amigas do coração, e seu consumo regular convém a todos que sofrem de insuficiência cardíaca por qualquer causa, desde angina no peito até o risco de infarto. Recomenda-se seu uso, especialmente, a quem tenha sofrido infarto do miocárdio e se encontre em fase de reabilitação.

Para que as nozes reduzam o colesterol e não provoquem obesidade, seu consumo deve substituir o de outros alimentos ricos em calorias (margarinas, manteiga, embutidos).

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

BANANA

A banana também é rica em minerais, como o potássio, o magnésio e o ferro fundamentais para a saúde

Previne a hipertensão arterial e o infarto

A banana é a fruta mais consumida pelos brasileiros e a segunda no ranking mundial, onde só perde para a laranja. Além de ser muito saborosa e versátil, a banana é um alimento de grande valor nutricional, rica em vitaminas e minerais fundamentais para a saúde, principalmente em relação as afecções cardíacas.

A fruta contém pequena quantidade de proteínas (1%) e pouca gordura (menos de 0,5%), mas o seu destaque está no seu conteúdo de vitamina B6. Contém também boas quantidades de vitaminas C, B1, B2 e E, assim como de folatos.

A banana também é rica em minerais, como o potássio, o magnésio e o ferro. Sua riqueza em potássio torna a frutas fresca em uma das mais abundantes nesse mineral, onde somente o abacate e a tâmara superam a banana em potássio.

Os dois tipos de fibra vegetal, solúvel e insolúvel, encontram-se presentes na banana numa quantidade bastante importante, tratando-se de uma fruta sua composição é de 2,4 g/100 g. Essa fibra contribui para a ação hipocolesterolemiante (que faz crescer o nível de colesterol) e suavizante intestinal da banana.

A banana contém pequenas quantidades de Serotonina. Essa substância, derivada do aminoácido triptofano, realiza diversas funções no sistema nervoso, como vasodilatação arterial, inibição das sensações dolorosas na medula espinhal e sedação nervosa. Porém, está em estudo o efeito da pequena quantidade de serotonina presente na banana podem exercer sobre o organismo.

Aplicação medicinais da banana

  • Afecções cardíacas: A banana é uma fruta ideal para todos que têm algum problema com o coração (angina no peito, infarto, arritmias, insuficiência cardíaca) ou no sistema circulatório (hipertensão arterial, arteriosclerose), devido à sua excepcional composição:

– Grande teor em potássio e ausência de sódio: Com 396 mg de potássio e 1 mg de sódio para cada 100 g da parte comestível, a banana apresenta o quociente potássio/sódio mais alto de todas as frutas e hortaliças (carne, peixe e lácteos contêm muito menos potássio e mais sódio). Uma alimentação rica em potássio e baixa em sódio previne a hipertensão arterial, as arritmias, a trombose arterial e o câncer.

– Presença significativa de vitaminas do grupo B: Essas vitaminas são necessárias para que o músculo do coração produza energia, assim como o magnésio, que diminui o progresso da arteriosclerose e previne infartos.

– Abundante fibra vegetal que faz baixar o nível de colesterol.

– Pequenas quantidades de serotonina de ação vasodilatadora.

  • Afecções intestinais: Sozinha ou combinada com maçã, a banana dá muito bons resultados para aliviar as diarreias, tanto em crianças como em adultos. Também se recomenda seu uso em abundância como alimento único, durante alguns dias, em caso de doenças celíaca (má absorção intestinal acompanhada de diarreia e desnutrição produzida por alergia ao glúten). O milho e o arroz também são recomendados como alimento ideal para os celíacos.
  • Artrite úrica e gota: A banana provoca alcalinização do sangue, que contribui para neutralizar e eliminar o excesso de ácido úrico causador da artrite e da gota.
  • Regime baixo em sódio: Sempre que se desejar adotar uma dieta baixa em sódio, a banana é a fruta ideal, pois fornece calorias, vitaminas e outros minerais. Seu uso é recomendado em casos de cirrose hepática, ascite (acúmulo de líquido no ventre), edemas (retenção de água nos tecidos) de origem cardíaca ou renal, nefrite, nefrose e insuficiência renal.
  • Diabetes: A banana não é contraindicada para diabéticos, embora os carboidratos em forma de açucares que forneçam devam ser controlados. Diferente dos açúcares refinados (açúcar branco), os da banana são absorvidos mais lentamente. Portanto, não produzem elevação brusca do nível de glicose no sangue.

ERVILHA

Além de proteínas e carboidratos, outros nutrientes se destacam nas ervilhas, entre elas as vitaminas do complexo B, a vitamina C e o potássio

Amiga do Coração

A ervilha faz parte da família das leguminosas (grãos que nascem em vagens), assim como a fava, o grão-de-bico, a lentilha, a soja, o amendoim e o feijão. Todos esses alimentos são considerados funcionais, pois previnem e ajudam a evitar várias doenças crônicas não transmissíveis, como as doenças cardíacas e as diabetes.

Propriedades e indicações da ervilha: Essas leguminosas cruas contêm 78,9% de água. Há vários nutrientes se destacam na ervilha, entre eles estão:

  • Carboidratos: Contém 9,36%. Quantidade significativa, ainda que inferior à batata (16,4%). Em sua maioria é constituído de amido, com uma pequena quantidade de sacarose.
  • Proteínas: Com seus 5,42% supera a batata (2,07%) e se aproxima de cereais como o arroz (6,61%), ainda que esteja longe de outras leguminosas como o feijão (23,4%). As proteínas da ervilha são bastante completas, ainda que tenham carência relativa do aminoácido essencial metionina de sobra, mas lhe falta lisina. Por isso, a combinação de ervilhas e cereais proporciona todos os aminoácidos necessários para o organismo produzir suas proteínas.

Além de proteínas e carboidratos, outros nutrientes se destacam nas ervilhas, entre elas as vitaminas do complexo B, a vitamina C e o potássio, com 244 mg por 100 g, quantidade imprescindível para o bom funcionamento do coração.

As ervilhas também são boa fonte de ferro (1,47 mg/100 g), magnésio, zinco e fibra, e fornecem boa quantidade de vitamina A (betacaroteno), e vitamina E. Por todos esses componentes, a ervilha é recomendada para os seguintes casos:

– Afecções cardíacas: As ervilhas praticamente carecem de gorduras e sódio, duas substâncias que, em excesso, são prejudiciais ao coração. As ervilhas se ajustam muito bem às dietas dos que sofrem de insuficiência cardíaca, lesões das válvulas, miocardiopatias (degeneração dos músculos cardíaco) e de angina ou infarto.

– Transtornos do sistema nervoso: As ervilhas são ricas em vitaminas do complexo Be em minerais necessários para o bom funcionamento do sistema nervoso. São apropriadas em caso de debilidade nervosa, neurastenia, irritabilidade, depressão, insônia e outros transtornos funcionais.

– Gravidez e lactação: Por sua riqueza em proteínas (especialmente se combinadas com outros cereais), vitaminas e minerais, as ervilhas são recomendáveis para mulheres grávidas e que amamentam. Também são ricas em folatos, que evitam a malformações do sistema nervoso no feto.

Leave a reply